A Primeira Bateria Mecânica Comercial Está Armazenando Energia Eólica Sob o Oceano

Você já viu uma turbina eólica gigante parada, mesmo em um dia com vento? Eu passo por muitas turbinas durante o trajeto de casa até o trabalho diariamente, e eu me pergunto por que essas turbinas preguiçosas não estão funcionando. Eu preciso trabalhar, e essas turbinas ficam paradas o dia inteiro! Elas quebram o tempo todo ou algo parecido? Bom, isso fez com que eu ficasse pessimista em relação à energia eólica.

Na realidade, essas turbinas estão paradas porque se depararam com grandes demandas de energia. Atualmente, as fontes de energia renováveis devem reduzir a produção sempre que a quantidade de eletricidade produzida excede a demanda do usuário. Em vez de continuar a tirar proveito das condições de vento, a turbina deve ser desligada até a necessidade de uma maior produção. A energia solar está na mesma situação. A empresa Whirl Energy está construindo uma solução para manter os recursos energéticos mesmo depois que a demanda seja atendida.

O desafio da Whirl Energy é desenvolver um sistema mecânico eficiente para armazenar energia excedente, a fim de maximizar a geração de eletricidade a partir de fontes limpas e renováveis. Armazenar esta energia em uma bateria elétrica é caro, por isso a Whirl Energy está em busca de uma solução mecânica.whirl

Como prova de conceito, a empresa construiu um protótipo em escala 1:10 de um sistema de bóia submersa, que utiliza a energia excedente para colocá-las até uma profundidade de aproximadamente 100 metros. Sempre que é necessário mais energia, as bóias são lentamente liberadas e a força de empuxo é convertida em energia e armazenada à medida que sobem para a superfície.

Para trazer à vida a primeira bateria mecânica baseada em bóia e em escala comercial, a Whirl Energy optou pelo SOLIDWORKS. A empresa utiliza a modelagem do SOLIDWORKS, análise estrutural, análise dinâmica computacional de fluídos (CFD), além das soluções de gerenciamento de dados do produto (PDM) para desenvolver o projeto inovador de uma bóia submersível e mecânica, a fim de armazenar o excesso de energia gerada por fontes renováveis.

“O SOLIDWORKS é intuitivo e avançado, particularmente com a integração da análise de elementos finitos (FEA),” explica Saben Murray, Presidente da Whirl Energy. “O SOLIDWORKS fornece as características sofisticadas que nos permitem simular as condições mecânicas únicas que envolvem içar bóias de cinco metros de diâmetro a 100 metros debaixo d’água.”whirl1

Em adição à modelagem do sistema submerso da bóia, validação de seu desempenho e construção de um protótipo funcional, a Whirl Energy utiliza ferramentas de visualização do SOLIDWORKS para demonstrar como funciona o sistema. “Sem SOLIDWORKS, teríamos muito mais dificuldade em comunicar o que é o sistema e como ele funciona”, Murray ressalta.

“É fundamental que os investidores e potenciais clientes entendam o que estamos criando”, continua ele.”Uma coisa é explicar a eles o que é um sistema de armazenamento de energia que utiliza âncoras de concreto, guindastes subaquáticos, amarras, polias, treliças e bóias. No entanto, mostrar uma imagem fotorrealista do sistema completo feito com o PhotoView 360 é muito mais eficaz para comunicar como o sistema vai funcionar e gerar suporte para construções em escala real, em aplicações comerciais.”

Clique aqui para ler a história completa por trás do desenvolvimento do primeiro sistema em escala comercial de bateria mecânica baseado em bóias da Whirl Energy, e veja também o trabalho deles com o eDrawings.