A Realidade Aumentada é o futuro da cirurgia?

Mais barato. Mais rápido. Mais seguro. Quando se trata de transformar a cirurgia médica, esses são os alvos. A Realidade Aumentada tem o real potencial de atingir esses três objetivos.

Conheça Rafael Grossmann…

Ele se auto intitula um futurista da saúde.

Ele já fez diversos TEDx talks.

No verão de 2013, Rafael J. Grossmann Zamora fez história ao se tornar o primeiro médico a utilizar o Google Glass durante a cirurgia. Naquela época, esse grande entusiasta da tecnologia da saúde, elogiou sobre o potencial da tecnologia digital de transformar treinamento cirúrgico e desempenho cirúrgico.

“O papel do Google Glass como uma ferramenta cirúrgica e pedagógica é tremendo,” Grossmann explicou em uma entrevista com Forbes em 2013. “Esse é apenas o começo. Novas aplicações – algumas que ainda nem conseguimos imaginar – irão ajudar a transformar a cirurgia e a experiência cirúrgica. ”

Tecnologias do Google (Glass), fones de ouvido da Microsoft (HoloLens) e o alvorecer das lentes de contato digitais podem revolucionar a medicina. Tendo o  conhecimento que a aplicação dessa crescente tecnologia se estende além do Pokémon Go, o que podemos esperar da realidade aumentada em um centro cirúrgico?

Inovação nos centros cirúrgicos

Com a realidade aumentada entregue por tecnologias como o Google Glass ou Microsoft Hololens, os cirurgiões terão uma visão sem precedentes em tempo real dos procedimentos cirúrgicos. A tecnologia já existe para criar uma sobreposição virtual na visão do mundo real do cirurgião, guiando-o através de cada etapa da cirurgia, para um desempenho aprimorado e segurança do paciente.

Graças a modelagem 3D, a realidade aumentada também pode ajudar a localizar tumores – essencialmente dando visão de radiografia aos cirurgiões, sem o uso da radiação prejudicial. Qualquer área da anatomia pode ser modelada, aumentada e localizada com extrema precisão. Por outro lado – tecnologias digitais como o Google Glass também permitem que os cirurgiões rapidamente capturem fotos no meio do procedimento que podem ser incluídas nos registros médicos do paciente.

Treinamento com realidade aumentada

Ser cirurgião é uma profissão altamente qualificada. Isso requer muito treinamento de diversos procedimentos para tornar-se competente – e isso custa muito dinheiro.

A questão é que muitos treinamentos cirúrgicos aconteceriam em centros cirúrgicos, com os alunos fazendo uma série de comentários sobre os procedimentos enquanto os cirurgiões trabalhassem. No entanto, isso está acontecendo cada vez menos. As exigências quanto à disponibilidade de centros cirúrgicos – e do tempo dos cirurgiões – são muito altas.

Para enfrentar esse problema, empresas como a Touch Surgery criaram centenas de simulações de treinamentos para dispositivos móveis que permitem que alunos de medicina acompanhem procedimentos cirúrgicos passo-a-passo. Graças ao advento da realidade aumentada, a Touch Surgery tem sido capaz de tornar essas simulações ainda mais envolventes, autênticas e interativas. Isso é ótimo para resultados de aprendizado.

Em resumo: a realidade aumentada está se tornando mais fácil, mais barato e mais rápido para os trainees praticarem e os cirurgiões qualificados praticarem seus procedimentos. Essa é uma ótima notícia para a segurança dos pacientes.

A realidade aumentada pode mudar o mundo?

No hospital mais próximo de você, dúzias – talvez centenas – de operações acontecem todos os dias. Esse é um milagre da medicina moderna. No entanto, 67% da população mundial não tem acesso a uma cirurgia segura. Isso equivale a um pouco menos de 5 bilhões de pessoas. Chocado? Espere por isso: dos 313 procedimentos cirúrgicos realizados por ano, apenas 6% ocorrem nas áreas mais pobres do mundo – onde mais de um terço da população mundial vive. A chave para remodelar a balança é treinar cirurgiões da forma mais barata possível.

A Proximie está aqui para ajudar.

Eles dizem que a melhor forma de aprender é fazendo. A segunda melhor? Assistir um especialista. A Proximie permite que cirurgiões trainees tenham acesso a feeds ao vivo de operações a milhares de quilômetros de distância, em tempo real, via smartphone ou tablet. Estudantes podem escrever perguntas para os cirurgiões – que apareceram como uma notificação nos seus dispositivos móveis – que poderão ser respondidas através de um link de áudio.

A Proximie também pode ser usada como um guia de cirurgiões no mundo do desenvolvimento, conforme eles realizam seus procedimentos. Isso tem a capacidade de conectar em tempo real um cirurgião em treinamento com um consultor experiente, que pode guiar o primeiro durante o procedimento usando a voz, ou notificações em texto. É uma coisa revolucionária e pode transformar a medicina no mundo em desenvolvimento.

A realidade (aumentada) da esterilização

Há desafios claros de esterilização quando se trata de usar tecnologias de realidade aumentada em centros cirúrgicos. Fones de ouvido, por exemplo, são uma fonte de contaminação – e é improvável que respondam bem a um esfregaço antimicrobiano. Controle de voz, rastreamento gestual e pedais estão sendo exibidos como potenciais opções para fechar o círculo. Até algumas coisas tão simples como um controle remoto alojado em uma bolsa estéril poderia funcionar.

 “Esse é apenas o começo…”

Grossmann estava certo quadro ele previu em 2013 que seu uso do Google Glass era apenas a ponta do iceberg, em termos da influência positiva que a tecnologia digital poderia ter na medicina. Com o aumento da adoção da realidade aumentada entre os cirurgiões e iniciantes, o futuro da cirurgia tem o potencial de ser mais seguro e eficiente do que nunca.

Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone